Sobre formas femininas

Ela escolheu a publicidade para exercitar profissionalmente a sua criatividade. Mari Vilas assina uma coleção de gravuras inspiradas nas mulheres negras da capital baiana, a cidade mais negra fora do continente africano, suas personagens que gritam Eu sou neguinha! trazem referências da pop art em vetores vibrantes.

A autora sempre gostou muito de desenhar, mas as “artes” da infância não se limitavam ao papel e lápis, “eu inventava arte com sucata, modelava bonequinhas de barro, biscuit, fazia móveis de boneca com caixas de fósforo, e por ai vai…” lembra. Eu sou neguinha tem a finalização digital mas muitas vezes o ponto de partida vem ter técnicas mais orgânicas, como o lápis, nanquim e a aquarela.

 

 

Comnetários

comments

Deixe uma resposta