Review GoT 7×01: “Dragonstone”

Antes de começar falando sobre estréia tão esperada de Game of Thrones, vale relembrar alguns tópicos importantes sobre o final da sexta temporada:

  • Jon Snow ressuscita, mata seus traidores, e como não faz mais parte da patrulha da noite é declarado Rei do Norte (mesmo sendo “bastardo”).
  • Daenerys começa a velejar para Westeros com os navios da frota Grayjoy.
  • Holdor partiu dessa para melhor. Meera e Bran estão sozinhos.
  • Arya vinga o Red Wedding matando Walder Frey da mesma forma que sua mãe foi morta. A garota que agora tem nome utiliza o disfarce dos Homens sem Face para alcançar tal feitio.

[CONTÉM SPOILERS]

7×01 – Dragonstone

O inverno chegou para a casa dos Freys – A vingança dos Starks não parou apenas em Walder. Sobrou apenas uma garota – alguém tinha que contar e cantar a história.
“Se deixar um lobo vivo as ovelhas nunca estarão seguras” 😉

Impasse entre Jon e Sansa –  Enquanto planejam seus próximos passos, Sansa defende a ideia de tirar os castelos das famílias que traíram os Starks (e entregá-los a quem morreu lutando por Jon), mas ele é contra. Por um lado Sansa tem razão, é importante reconhecer o grande ato de quem morreu em combate pela causa. Mas se tirarem o castelo da família nunca terão seu apoio e lealdade de volta. Muito pelo contrário, dará um motivo a mais para se rebelarem e criarão outra preocupação.

Sansa deixou de ser Sonsa – Tem voz, é politizada e questionadora. Mesmo após levar um puxão de orelha de Jon por contrariá-lo na frente de todos, ela se impõe e diz que ele deve ser questionado sim!
Interesse – Lord Baelish de diverte com a divergência de pensamento dos dois, enxergando uma possível brecha para fazer Sansa de virar contra o irmão e se casar com ele (já que ela é puro sangue Stark e ele almeja o trono de ferro)

Comnetários

comments

Deixe uma resposta