{RESENHA} A LÂMINA DA ASSASSINA – SARAH J MAAS

Título: A Lâmina da Assassina
Título original: The Assassin’s Blade
Autor (a): Sarah J Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 404
Onde comprar: Saraiva | Amazon
Adicione ao Skoob

Sinopse: Implacável. Sedutora. Letal. A Assassina de Adarlan é tudo isso. Sua fama ultrapassa os muros de Forte da Fenda, mais brilhante que as torres do castelo de vidro, onde o usurpador governa com mão de ferro o destino de todos em Erilea. Poucos conhecem seu rosto, menos ainda sobrevivem à sua fúria. Seu caminho rumo à fama estava escrito nas estrelas, sob a bênção da constelação do cervo branco, o Senhor do Norte, o mítico espírito de Terrasen. Não à toa Celaena Sardothien é sinônimo de morte. Suas lâminas são certeiras. Assim como também é o seu estranho código de honra. Seu aguçado senso de justiça. Única, ela foi criada nas sarjetas. Mas como uma menina, encontrada agonizando pelo rei dos Assassinos de Adarlan, se tornaria a campeã do rei? Disputada pelo capitão da guarda real e pelo próprio príncipe herdeiro? No centro de intrigas políticas? Conheça o caminho da assassina. Pavimentado com sangue, lágrima e suor. Acompanhe Celaena vencer um lorde pirata e toda a sua tripulação; o encontro com uma curandeira; seu treinamento com o Mestre Mudo, senhor dos assassinos silenciosos, nas dunas do deserto Vermelho; a prisão nas Minas de Sal de Endovier; ou, ainda, sua luta contra o mais escorregadio e traiçoeiro dos adversários — o próprio coração.

Hey, leitores lindos do #blogumup.

Há alguns dias, eu falei por aqui sobre Trono de Vidro e contei que a série virou uma das minhas fantasias favoritas. Antes de continuar falando sobre os acontecimentos que sucedem o final de ToG, em Coroa da Meia-Noite, preciso falar sobre A Lâmina da Assassina. A Lâmina é um livro de contos que vai narrar pequenos acontecimentos interligados e que levaram nossa assassina à tão temida Endovier. Neste livro temos a oportunidade de ver o desenvolvimento do relacionamento dela com o Sam, personagem bastante citado em ToG, e sua relação com outros personagens que aparecem, ou são citados, ao longo dos outros livros da série. E, embora seja um livro de contos, ele é de suma importância para que os leitores possam conhecer um pouco mais da maior e mais famosa assassina de Adarlan. Nele vemos um lado mais sombrio de Celaena e o quanto ela mata sem piedade ou remorso, mas que, ao mesmo tempo, não foge de suas raízes ao tentar ver o lado bom e correto em determinadas situações. Mas principalmente, vemos como, em meio a uma rede de mentiras e manipulação, a maior e mais brilhante assassina também pôde ser enganada.

“A beleza era uma arma – que Celaena mantinha afiada –, mas também podia ser uma vulnerabilidade.”

No primeiro conto, A Assassina e o Lorde Pirata, vemos Celaena e Sam sendo enviados para as Ilhas Mortas, em uma missão misteriosa de Arobynn. A Assassina acreditava que fora enviada para falar com o Lorde Pirata sobre a morte de alguns assassinos da Guilda, mas acaba descobrindo que havia sido enganada por seu Mestre e que estava ali para realizar a compra de escravos em nome dele. Minha primeira surpresa ao iniciar este conto foi descobrir que Sam e Celaena se odiavam a princípio e que seu relacionamento era a base de tapas e trocas de ofensas de ambas as partes. Adorei ver como o relacionamento deles foi se desenvolvendo ao longo do conto, foi maravilhoso. Eles não terminam este pedacinho da história como um casal, mas ao libertarem os escravos juntos criaram um laço que não será quebrado facilmente.


“Era um olhar tão típico de Sam: o lampejo de malícia, o toque de exasperação, a bondade que sempre, sempre faria dele uma pessoa melhor que Celaena.”

Assassina e a Curandeira é o segundo e menor conto do livro e faz uma pequena ponte entre o primeiro conto e o terceiro, uma vez que Celaena está saindo em uma viagem para o deserto vermelho em busca do Mestre Mudo e dos assassinos silenciosos. E, mesmo sendo pequeno, é um dos meus contos favoritos da história. Nele vemos Celaena e Yrene – uma curandeira que entra em seu caminho durante os poucos momentos em que a Assassina fica na estalagem na qual ela trabalha. Eu gostaria muito de falar mais sobre esse conto e de sua importância para o restante da história, mas acabaria contando muito spoiler e eu não quero isso hahaha. Só posso adiantar que teremos mais um livro de ToG (Tower of Dawn – ou Torre do Amanhecer, em uma tradução não oficial) em setembro e minha querida curandeira terá um papel muito importante pela frente.

Comnetários

comments

Deixe uma resposta