Estereótipos

Salve galera, tudo numa boa?

Outro dia estava dando uma olhada em alguns sites que nem tenho o costume de visitar e ler as matérias, porém encontrei algo que me chamou bastante atenção, até porque fiz dois posts aqui no blog, onde falei sobre a aparência e aceitação. Basicamente a matéria desse site, retrata um pouco desse assunto e resolvi comentar um pouco sobre isso aqui com vocês.

Como sabemos bem, a sociedade vive em uma bolha imaginária, onde cria padrões de tudo que se possa imaginar, é preconceitos vindo de todos os lados…uma chatice sem fim! Inclusive com as pessoas “diferentes”, que ousam em arriscar ter uma aparência única, porém diferentes dos demais, causando um espanto e julgamento.

Celia Sanchez, uma mexicana que tem tatuagens e cabelos coloridos, sofreu preconceito e foi julgada, quando se tornou mãe, aos 23 anos. Ao UpWorthy, relatou que se sentia “diferente” das outras mães por ser nova e por sua aparência.

 “Quando eu levava meus filhos para a creche, eu me sentia como se eu não fosse como as outras mães e ouvia ‘você realmente não se parece com uma mãe’, mas sempre pensei ser tolice dizer que alguém não se parece como uma mãe”.

Continue lendo em Por que não, Joy?

Comnetários

comments

Deixe uma resposta