Mais do que multitarefa do lar, e em busca da igualdade.

Em semana que se comemora o Dia Internacional da Mulher, um artigo de reflexão para a igualdade do gênero feminino nas empresas, nas escolas e na vida.

É notório que a visão da mulher como dona do lar, que vivia para cuidar da casa e dos filhos vem mudando drasticamente ao longo dos anos, porém ainda assim permanecem as diferenças consideradas discriminatórias em diversas áreas, principalmente nas relações de emprego.

Mas, como meu objetivo aqui não é ficar fazendo apologia nem ao feminismo e nem ao machismo vou direto ao que interessa de uma vez:

Conversar sobre esse assunto e se deparar com posições extremas é de praxe, mas é necessário que pensemos fora da caixa, contrariando o senso comum da sociedade para entender que se faz necessário o pensamento de respeito e igualdade quando falamos de seres com a mesma capacidade, sem tirar nem por, afinal as mulheres são tão capazes (ou até mais) que muitos homens.

Olhando para o ambiente empresarial, podemos averiguar que há uma desequilíbrio entre homens e mulheres em diversas áreas, desde salários, oportunidades até confiança da equipe para promoção.

A pesquisa “Women in Business 2015”, da Grant Thornton, por exemplo, aponta que o Brasil é 3º país com menos mulheres em cargos de liderança, estando atrás apenas do Japão e da Alemanha. Pior do que isso,é que em muitas partes do mundo as mulheres mesmo maiores de idade continuam dependendo de autorização masculina para ingressar no mercado de trabalho, para abrir um conta ou negócio e até para ser independente  intelectualmente.

 

Continue lendo em Felipe Martins

Comnetários

comments

Deixe uma resposta