SOBRE PASSAR A MAIOR PARTE DO TEMPO SE SENTINDO FELIZ

Eu não sei dizer exatamente como me tornei aquilo que eu sou hoje, mas garanto que fez uma diferença enorme na minha existência. Quando eu era mais jovem, talvez uns treze ou quatorze anos apenas, o meu avô cortou um pé de goiaba que eu vi crescer. Naquela época e do meu jeito, eu sofri. Talvez eu tenha apenas resmungado algo para a minha mãe, talvez eu nem tenha dito nada, mas lembro perfeitamente o quanto aquele gesto, a princípio muito simples, mexeu com o meu emocional. Vou reforçar que não sei o que me fez ser o que sou, mas hoje, ao fazer um longo trajeto no banco de trás de um carro, eu me lembrei desse episódio. Nem tudo é tão simplório quanto aparenta ser.

Talvez eu devesse parar de procurar uma razão e apenas agradecer a Deus sobre como eu sou alguém que passa boa parte do tempo se sentindo feliz. Se o mundo não fosse tão mau e as pessoas não fossem tão ruins, eu me sentiria completa. Mas, nem tudo sempre foi como é hoje. Eu nasci com um pensamento indiferente com relação aos animais. Nem gato nem cachorro me encantavam, eu os desprezava, não me importava com a existência de cães abandonados vagando pelas ruas, por exemplo. Eu me envergonho disso. Mas aos poucos, eu comecei a notá-los, sim, pois ver e notar são coisas diferentes. Um dia, depois que perdi o gato Elvis, entendi a diferença que eles, os animais, podem fazer em nossas vidas. E não, não estou falando de comida. Anos mais tarde, talvez por obra do destino, eu quis adotar um cachorro. Adotei o Mac no dia 27 de outubro de 2012 numa adoção de vira-latas instalada no colégio em que eu estudava, o CEDUP. As informações eram de que o Mac tinha aproximadamente um mês e que tinha sido encontrado abandonado junto aos seus oito ou nova irmãozinhos. Alguns diriam que Mac veio morar comigo, mas eu tenho certeza de que eu é que fui morar com ele.
Aquele cachorro mudou a minha vida, acredite você ou não. Eu passei a ter um instinto de proteção que eu jamais tive, ele me fez enxergar a vida de um jeito completamente diferente, mais sensato e puro. Mac me fez ter esperança nas pessoas. O amor que eu sinto por ele é inexplicável, como todas as coisas mais importantes da minha vida são.

Comnetários

comments

Deixe uma resposta