[Súmula de Domingo] Guerra e Flores!!! – Ana Cristina da Costa

Hoje não falarei de guerra, direi das flores que enfeitam a vida e a morte.

De certa forma falo sim de guerra, mas de propriamente de batalhas travadas ao longo da existência humana.
As travamos constantemente sejam internas, com nossos fantasmas ou com o outro, nosso par, nosso irmão, nosso vizinho. Brigamos e queremos nossas vontades explícitas e aceitas. Porque somos vaidosos, intransigentes e orgulhosos.
Nada mais define a guerra, senão uma vontade.
Hoje é o Dia Nacional do Aço, então falarei de delicadeza e a falta que ela faz em nossas vidas. Falarei sobre a mudança de comportamento pós acesso à internet e suas redes sociais, sobre as conversas fáceis e corriqueiras que dispensam as meras formalidades de cumprimentos. Sobre a indignação daqueles que de uma maneira ou outra não conseguem acostumar-se com os modos modernos. E sobre os que estão familiarizados trazendo para a realidade tal comportamento.
É uma pena que o aço seja um peso maior nas relações ou diria que é o ferro que confere o contrapeso “à ferro e fogo”, mas eu prefiro as flores e suas nuances em cores e fragrâncias, só elas podem transmitir aos olhos o belo.

A guerra e as flores vivem uma relação de batalha, o que uma destrói a outra constrói na alma.

Continue lendo em Faroeste Literário

Comnetários

comments

Deixe uma resposta